Blog

Trump promete a presidente da Apple que iPhones serão poupados de tarifas da China, diz jornal


Smartphones da Apple são feitos na China e levados até EUA; na semana passada, Trump anunciou uma tarifa de 25% sobre US$ 50 bilhões em bens importados da China. Donald Trump fala em reunião do Conselho Espacial Nacional, na Casa Branca, nesta segunda-feira (18)
Reuters/Jonathan Ernst
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ao presidente-executivo da Apple, Tim Cook, que o governo norte-americano não vai impor tarifas de importação para iPhones montados na China, informou o jornal “New York Times” nesta segunda-feira (18), citando fontes com conhecimento do assunto.
Segundo o periódico, Cook viajou para a Casa Branca no mês passado para alertar Trump sobre os potenciais efeitos adversos sobre a Apple da China gerados pelas políticas comerciais de seu governo.
Os iPhones são feitos pela Foxconn, que possui plantas na China, de onde saem os aparelhos levados para os EUA, e no Brasil, que atende o mercado brasileiro.
O “NYT” não informou quando Trump se comprometeu com Cook a não taxar iPhones. Representantes da Apple e da Casa Branca não estavam disponíveis de imediato para comentar o assunto.
Em abril, os EUA divulgaram uma lista de produtos vindos da China que sofreriam uma sobretaxa de importação, mas deixaram de fora de parte produtos eletrônicos de consumo, como smartphones.
Na semana passada, porém, Trump anunciou a cobrança de tarifas adicionais de 25% sobre produtos chineses importados, que movimentam US$ 50 bilhões ao ano.
A lista revisada incluiu várias categorias de chips, o que criou temores de que as sobretaxas poderiam afetar o setor de tecnologia norte-americano.

Referência

Lifan X80 é lançado no Brasil por R$ 129.777


SUV grande traz motor turbo e capacidade de levar até 7 passageiros. Lista de equipamentos inclui teto solar e ar-condicionado digital. Lifan X80
Divulgação
A Lifan acaba de lançar no Brasil um novo produto. O X80 já está nas 46 concessionárias da marca, em versão única, por R$ 129.777. É o primeiro veículo da marca a superar os R$ 100 mil.
O SUV grande também é o primeiro modelo com motor turbo da Lifan por aqui. Seu quatro cilindros de 2 litros entrega 184 cavalos e 28,6 kgfm. O câmbio é automático de 6 marchas.
Ele aposta na capacidade de levar 7 passageiros e em uma lista de equipamentos generosa para roubar clientes de modelos maiores e mais caros, como o Toyota SW4 (a partir de R$ 168.140).
Lifan X80
Divulgação
Entre os itens de série há 6 airbags, controles de tração e estabilidade, sensores de luz e estacionamento, acesso e partida por chave presencial, teto solar elétrico, ar-condicionado digital, bancos de couro, controle de velocidade de cruzeiro, câmera de ré, retrovisor interno antiofuscante e central multimídia de 8 polegadas.
O X80 tem 4,82 metros de comprimento, 2,79 m de entre-eixos, 1,93 m de largura e 1,76 m de altura. Segundo os dados da empresa, o consumo médio de gasolina é de 9,9 km/l.
Lifan X80
Divulgação

Referência

O evento, promovido pelo Ministério dos Transportes, será ministrado pelo secretário Dario Lopes e tem por objetivo explicar investimentos, regras, garantias e etapas da 5ª rodada de concessões

Nesta terça-feira (19/6), em Recife (PE), o secretário nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Dario Lopes, realiza workshop com a imprensa local para explicar a nova modelagem da 5ª rodada das concessões aeroportuárias do Bloco Nordeste, composto pelos aeroportos de Recife, Maceió (AL), João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE) e Campina Grande (PB). O leilão está previsto para dezembro.

Para Lopes, o workshop é uma oportunidade de explicar todas as características e detalhes da nova modelagem das concessões aeroportuárias. “Desde 2011, o governo trabalha no processo de concessões de aeroportos no Brasil. Ao longo de sete anos, aprimoramos, discutimos e definimos mudanças no processo. E uma das novidades é a concessão em blocos, unindo aeroportos superavitários e deficitários”, explicou Lopes.

Para o Bloco Nordeste, o valor de outorga estimado será de R$ 3,1 bilhões (outorga inicial mais a estimativa de arrecadação com as outorgas variáveis) e o investimento estimado é de R$ 2,08 bilhões para todo o bloco. A nova concessão à iniciativa privada terá prazo de duração de 30 anos.
A novidade para esta 5ª rodada de concessão é que não haverá cobrança de contribuição fixa anual (outorga fixa), somente da parcela variável. Essa contribuição vai considerar a arrecadação de 16,5% sobre a totalidade da receita bruta da futura da concessionária com os seis terminais e será recolhida anualmente. Assim como na rodada anterior, não há participação da Infraero.

Além disso, o vencedor do leilão terá que fazer o pagamento de R$ 360 milhões à vista mais o ágio ofertado no leilão. Essa cifra inicial foi calculada com base no valor presente líquido do empreendimento, ou seja, levando em consideração o investimento inicial, as receitas e custos da concessão, o fluxo de caixa e o retorno dentro desse período. Haverá cinco anos de carência para o pagamento da parcela variável, seguido de pagamentos crescentes do 6º ao 10º ano, quando, então, os 16,5% passarão a ser integralmente cobrados.

AUDIÊNCIA PÚBLICA – Em maio, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou o início das audiências públicas para os três blocos de aeroportos – Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Serão quatro consultas presenciais a serem realizadas no mês de junho nas capitais de Pernambuco, Distrito Federal, Espírito Santo e Mato Grosso. A primeira foi realizada em Vitória (15/6) e a segunda em Brasília (18/6). A próxima será em Cuiabá (19/6) e, em seguida, em Recife (21/6).

Além disso, é possível enviar contribuições em escrito e o prazo é até 18h do dia 13 de julho de 2018, por meio de formulário eletrônico disponível no site da agência reguladora.

LIVRE PARTICIPAÇÃO – Outra alteração do modelo atual é a possibilidade de uma mesma empresa vencer o leilão para quaisquer dos três blocos de aeroportos. A proposta do governo também não estabelece limitações para participação de concessionárias de terminais já concedidos.

A participação societária do operador aeroportuário no consórcio vencedor foi fixada em 15% na 5ª rodada de concessões, mesmo patamar exigido na 4ª rodada (concessões dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis). Além disso, os consórcios vencedores precisarão confirmar habilitação técnica para processamento mínimo de passageiros em um aeroporto, sendo 7 milhões para o Bloco Nordeste e 3 milhões no caso dos Blocos Sudeste e Centro-Oeste.

GARANTIAS – Foram fixadas como garantia da execução contratual as quantias de R$ 44 milhões para o Bloco Sudeste. Os valores estipulados, que serão reajustados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), correspondem a 25% da receita média estimada no Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) de cada bloco a ser leiloado. Considerou-se que a garantia proposta é suficiente para a cobertura dos riscos envolvidos e sem sobrecarga excessiva para as futuras concessionárias.

INVESTIMENTOS INICIAIS – Os futuros concessionários deverão realizar os investimentos necessários para a melhoria do nível de serviço e expansão da infraestrutura, sendo que todos os aeroportos deverão estar aptos a operar, no mínimo, aeronaves Código 3C (Airbus 318, Boeing 737-700 ou a maioria dos aviões Embraer), por instrumento, sem restrição.

Importante observar que as obras de adequação da infraestrutura aeroportuária dependem das necessidades identificadas em cada empreendimento, considerando as características operacionais de cada aeroporto e a evolução da demanda.

PRÓXIMAS ETAPAS – Pelo cronograma do Governo Federal, o leilão dos 13 terminais, divididos em três blocos, deve ser realizado na primeira quinzena de dezembro, incluindo aeroportos no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Atualmente, os estudos para o edital do leilão estão em consulta pública pela Anac até o dia 13 de julho. A expectativa é haja aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU) no 3º trimestre e o edital seja publicado até o final de setembro.

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

 

Referência

Maia defende que Câmara vote projetos da agenda econômica

Programa foi criado durante as negociações para encerrar uma greve dos caminhoneiros. Um total de 31 companhias, dentre produtoras e importadoras, inscreveram-se para participar da segunda fase do programa de subsídios ao diesel, do governo federal, em vigor entre 8 de junho e o fim de julho, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em seu site.
Preço do diesel recua 5 centavos na semana, segundo ANP
Após subsídios ao diesel, mercado sobe estimativa de rombo para R$ 151 bi
Dentre as inscritas, estão a Petrobras, que detém quase 100% da capacidade de refino no país– além das pequenas refinadoras Refinaria de Petróleo RioGrandense e Dax Oil Refino S.A., assim como diversas importadoras, como a Alesat Comercial Importações e Exportações Ltda.
As 31 empresas, de acordo com a agência reguladora, se inscreveram até esta segunda-feira (18).
Programa de subsídio
O programa de subvenção ao combustível, do governo federal, foi criado como resultado das negociações para encerrar uma greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias em maio e protestava contra os altos preços do combustível.
O objetivo do governo é que as empresas reduzam seus preços, sem que sejam prejudicadas financeiramente.
Ao aderirem ao programa, as produtoras e importadoras se comprometeram a congelar os seus preços de comercialização do diesel no país em valores estipulados pelo governo federal, ao passo que serão ressarcidas em até 30 centavos por litro pela União, dependendo das condições do mercado.

Referência

Reunião faz parte da 5ª rodada de concessões de aeroportos. Mais de 80 pessoas estiveram presentes.

Nesta segunda-feira (18/6), em Brasília (DF), a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Secretaria Nacional de Aviação Civil, do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (SAC/MPTA) realizaram a segunda sessão de audiência pública presencial da 5ª rodada de concessões de aeroportos. Na ocasião, mais de 80 participantes estiveram presentes na sede Anac.

As audiências são destinadas a apresentar, esclarecer dúvidas e receber contribuições a respeito do edital e contrato de concessão. Todas as manifestações verbais foram comentadas pela ANAC e pelo MTPA durante a própria audiência. Ao final do processo de consulta pública, todas serão formalmente respondidas pela Agência.

Na última sexta-feira (15/6), a ANAC realizou sessão presencial em Vitória (ES), que contou com mais de 100 participantes. As próximas duas sessões serão em Cuiabá (19/6) e em Recife (21/6). Os documentos da Audiência Pública nº 11/2018 podem ser acessados no endereço http://www.anac.gov.br/participacao-social/audiencias-e-consultas-publicas/audiencias-em-andamento/audiencias-publicas-em-andamento-1. Contribuições por escrito também poderão ser encaminhadas até às 18h de 13 de julho de 2018 por meio de formulário eletrônico disponível no mesmo endereço eletrônico.

Ao todo, serão leiloados 13 aeroportos em 3 blocos regionais definidos conforme a localização geográfica. O Bloco Nordeste é formado pelos aeroportos de Recife/PE, Maceió/AL, Aracaju/SE, João Pessoa/PB, Campina Grande/PB e Juazeiro do Norte/CE. O Bloco Sudeste inclui os aeroportos de Vitória/ES e Macaé/RJ. Os outros 5 aeroportos, todos em Mato Grosso (Cuiabá, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis e Alta Floresta), formam o Bloco Centro-Oeste. As novas concessões à iniciativa privada terão prazo de duração de 30 anos.

PRÓXIMAS ETAPAS – Pelo cronograma do Governo Federal, o leilão dos 13 terminais, divididos em três blocos, deve ser realizado na primeira quinzena de dezembro, incluindo aeroportos no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Atualmente, os estudos para o edital do leilão estão em consulta pública pela Anac até o dia 13 de julho. A expectativa é haja aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU) no 3º trimestre e o edital seja publicado até o final de setembro.

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Referência

MPF quer que multados tenham acesso a imagens de câmeras de trânsito para garantir defesa


Recomendação tem como base inquérito sobre multa no Rio Grande do Norte. Recomendação do MPF é para o Conselho nacional de Trânsito
Reprodução/TV Anhanguera
O Ministério Público Federal recomendou ao presidente do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), Elmer Coelho Vicenzi, que cobre que os órgãos de fiscalização disponibilizem aos condutores de veículos as imagens referente a infrações cometidas por eles. A orientação aconteceu após a instauração de um inquérito no Rio Grande do Norte, que apura a validade de uma autuação.
Segundo solicita o MPF, a medida seria válida para os órgãos municipais, estaduais e federais que usam videomonitoramento para a fiscalização de trânsito, para assegurar o exercício do direito de defesa dos condutores autuados.
Ainda de acordo com o que argumenta do Ministério Público Federal, o inquérito civil em andamento na Procuradoria da República no Rio Grande do Norte constatou que a Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) – que já utiliza o videomonitoramento – está impedida de realizar a captura e impressão das imagens do momento da infração. Isso por conta da redação dada à Resolução 471/2013 do Contran, que autorizou o sistema de fiscalização de trânsito através de câmeras de vídeo.
A recomendação do MPF, de autoria do procurador da República Victor Mariz, aponta que essa resolução é omissa quanto à gravação e disponibilidade das imagens. Além disso, a orientação apresentada pelos órgãos federais superiores (Contran, Denatran e Câmara Temática de Esforço Legal) é de que esse tipo de captura de imagens contraria a “presunção de legitimidade dos atos administrativos dos agentes de trânsito”, que efetuam as autuações.
O prazo concedido é de 30 dias, após o recebimento da recomendação, para que o presidente do Contran adote as medidas necessárias, seja através de mudança na resolução ou mesmo a partir de orientações aos órgãos federais, estaduais e municipais de trânsito. A gravação de cada infração, contudo, deve ser disponibilizada apenas aos condutores ou proprietários dos veículos que forem autuados por meio do videomonitoramento.
A recomendação não permite o uso das imagens gravadas para autuação posterior pelo agente de trânsito, que deve lavrar o auto de infração no momento da conduta. Segundo o MPF, o registro das imagens tem como finalidade garantir unicamente o “exercício do direito à ampla defesa” dos condutores autuados por meio de videomonitoramento, para evitar possíveis equívocos.
Confira a íntegra da recomendação clicando aqui.

Referência

BMW i3 volta ao Brasil a partir de R$ 199.950


Primeiro elétrico da marca a ser vendido por aqui ganha retoque no visual e maior autonomia. BMW i3
Divulgação
A BMW anunciou nesta segunda-feira a volta do elétrico i3 ao Brasil. O modelo chega em três versões, com preços a partir de R$ 199.950. Entre as novidades, estão a maior autonomia e um visual levemente renovado.
Veja os preços:
i3 REX – R$ 199.950
i3 REX Connected – R$ 211.950
i3 REX Full – R$ 239.950
A versão mais básica não possui alguns equipamentos, como volante multifuncional e estacionamento autônomo, além de ter uma central multimídia mais simples, sem navegação.
BMW i3
Divulgação
Ao contrário dos outros modelos da marca, o i3 estará disponível somente em alguns estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco e Distrito Federal.
Todas as versões do i3 possuem motor elétrico de 170 cavalos. Com ele, o modelo consegue percorrer até 180 km (ou 235 km no ciclo europeu de medições). No Brasil, todos os modelos terão o extensor de autonomia, que na verdade é um motor de 647 cm³, que aumenta em 150 km a capacidade de rodar.
BMW i3
Divulgação
No entanto, este motor não traciona as rodas, diferenciando o i3 de veículos híbridos. Há um pequeno tanque de combustível de 9 litros para abastecer o motor.
Na versão anterior, o i3 tinha autonomia de 130 km a 160 km, com outros 100 a 120 km com o extensor.
Encontre as diferenças
BMW i3
Divulgação
Além da maior autonomia, o i3 ganhou uma leve reestilização. Ele ainda pode ser facilmente reconhecido por seu visual pouco comum, tanto fora, como no interior.
As diferenças para a versão anterior estão nos para-choques dianteiro e traseiro, que ganharam desenho mais agressivo e nas luzes de neblina, que trocaram a forma redonda pela de traço.
Apesar das leves mudanças, o i3 manteve as medidas. São 4,01 metros de comprimento, 2,57 m de entre-eixos e 1,78 m de largura. O porta-malas acomoda 260 litros.

Referência

Maia defende que Câmara vote projetos da agenda econômica

Órgão tenta conter forte desvalorização do peso em meio a turbul~encia dos mercados. O banco central da Argentina anunciou nesta segunda-feira (18) novas medidas para acalmar o mercado cambial, depois de uma forte turbulência financeira na qual o peso se desvalorizou mais de 10% na semana passada.
A autoridade monetária disse que as reservas bancárias aumentarão em 5 pontos percentuais para depósitos à vista e a prazo, com um efeito total estimado de absorção de liquidez de cerca de 100 bilhões de pesos.
Operadores disseram que as exigências de reservas sobre instituições financeiras, que estavam em 20% para poupança e colocação em conta corrente, aumentarão 3 pontos percentuais, para 23%, e subirão para 25% no mês que vem.
“O aumento na exigência será em 21 de junho de 2018 (3 pontos percentuais) e em 18 de julho de 2018 (2 pontos percentuais adicionais)”, disse o comunicado.
Além disso, o banco central (BCRA) detalhou as ofertas em moeda estrangeira, em outro passo para tranquilizar o mercado de câmbio.
A instituição disse que fará oferta de até US$ 400 milhões até esta terça-feira.
“Cada agente pode fazer até três ofertas, cada uma com um valor mínimo de um milhão de dólares, em incrementos de um milhão e sem limite máximo”, informou.
Também foram flexibilizadas as exigências para que as entidades financeiras adquiram títulos públicos conhecidos como “Letes” em dólar no mercado secundário.
O banco central também autorizou os bancos a aumentarem sua posição global líquida em moeda estrangeira acima dos 5 por cento permitidos e 30 por cento de sua responsabilidade acionária computável (RPC), enquanto o excesso é integrado a Letes em dólares.
O anúncio das medidas vem após uma depreciação de mais de 10 por cento no preço do peso na semana passada e em face de uma oferta volumosa de Lebac na terça-feira.
Os mercados argentinos permanecem cautelosos e na expectativa após recente acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) de 50 bilhões de dólares e a dias da decisão a ser tomada pelo gestor do índice MSCI para incorporar ou não o país à sua referência de mercados emergentes.
Após o anúncio, o mercado de ações caía, liderado pela ações de instituições financeiras, enquanto o peso subia em relação ao dólar em meio à cautela.

Referência

Suzuki Jimny tem fotos da nova geração reveladas


Com novo chassi, modelo terá tração 4×4 e grande tela multimídia. Nova geração do Suzuki Jimny
Suzuki/Divulgação
Depois de 20 anos, a Suzuki finalmente revelou como será a nova geração do Jimny. O modelo atual foi lançado em 1998 e passou todo esse tempo sem grandes mudanças no visual.
Ainda sem os detallhes técnicos divulgados, o jipinho ficou mais quadrado nesta nova geração, remetendo a 2ª geração de 1981 – o 1º Jimny surgiu em 1970.
Com chassi novo, o modelo manterá a tração 4×4 e o interior, de aparência simples, mas moderna, mostra uma grande tela de central multimídia.
Interior da nova geração do Suzuki Jimny
Suzuki/Divulgação
Chassi do novo Suzuki Jimny
Suzuki/Divulgação

Referência