Blog

Lucro líquido do Magazine Luiza cresce 94% no segundo trimestre


Vendas totais da empresa somaram R$ 4,6 bilhões entre julho e setembro. A varejista Magazine Luiza elevou em 29,3%, para R$ 119,6 milhões, o lucro líquido do terceiro trimestre na comparação com igual período do ano passado, com forte desempenho de vendas, sobretudo no comércio eletrônico, e diluição de despesas, de acordo com balanço divulgado na noite desta segunda-feira (5).
Vendas no comércio eletrônico cresceram 54,6%
Marina Meireles/G1
O resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu 11,4% na mesma base, para R$ 278,9 milhões, ajudado por redução em despesas financeiras e crescimento nas vendas.
Mas a margem Ebitda caiu 1,2 ponto percentual sobre o terceiro trimestre de 2017, para 7,6%, afetada por investimentos adicionais em melhoria no nível de serviço e aquisição de novos clientes.
As vendas totais da Magazine Luiza, incluindo lojas físicas, e-commerce próprio e terceiros (marketplace), somaram R$ 4,6 bilhões entre julho e setembro, um valor 33,6% maior ano a ano.
O crescimento foi liderado pelo comércio eletrônico, cujas vendas saltaram 54,6% em relação ao terceiro trimestre de 2017, para R$ 1,7 bilhão, compreendendo 36,2% do total comercializado pelo Magazine Luiza no período.
Nos pontos físicos, enquanto isso, a varejista vendeu 24% mais e, no conceito mesmas lojas, a alta foi de 16,3%. “Destacamos também o excelente desempenho das lojas novas que, com resultados acima do esperado, contribuíram com 8 pontos percentuais para o crescimento de vendas”, afirmou a empresa no balanço.
A rival Via Varejo, dona das marcas Casas Bahia e Pontofrio, divulgou no final de outubro vendas mesmas lojas em alta de 4,2%.
Só no trimestre encerrado em setembro, o Magazine Luiza abriu 29 lojas, com entrada em novas regiões, somando 87 inaugurações nos últimos 12 meses. A rede contava com 913 lojas físicas, das quais 22% estavam em maturação.
A receita líquida trimestral da Magazine Luiza aumentou 28,5% sobre um ano antes, para R$ 3,67 bilhões, elevando para R$ 10,98 bilhões o faturamento acumulado de janeiro a setembro.
Já as despesas operacionais subiram 25,7% ante o terceiro trimestre do ano passado, para R$ 821,1 milhões, enquanto a despesa financeira líquida ajustada encolheu 16,7%, para R$ 69,9 milhões, em meio aos juros mais baixos.
Ao fim de setembro, a Magazine Luiza tinha uma posição total de caixa de R$ 1,9 bilhão, incluindo aplicações financeiras de R$ 700 milhões e R$ 1,2 bilhão em recebíveis de cartão de crédito.
Os investimentos alcançaram R$ 112,8 milhões entre julho e setembro, mais que o dobro dos R$ 47,6 milhões desembolsados no terceiro trimestre de 2017, com os recursos direcionados a abertura de lojas, reformas, tecnologia e logística.
Em 2018, as ações da Magazine Luiza acumulam alta de mais de 116%, superando o desempenho de rivais como B2W, que subiu cerca de 60%, e Via Varejo, que perdeu mais de 31% desde o começo do ano.

Referência

SKY

A vinda da empresa para o Brasil é o resultado do esforço do Ministério dos Transportes e da ANAC para ajustar as normas brasileiras ao padrão internacional  

A empresa aérea de baixo custo (low cost) Sky Airline, a segunda maior companhia aérea do Chile realizou, nesta segunda-feira (5/11), seu primeiro voo regular internacional entre Santiago, no Chile, e o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Sua vinda para o Brasil é o resultado do esforço do Ministério dos Transportes e da ANAC para ajustar as normas brasileiras ao padrão internacional.

SKY

“Agora, a norma que utilizamos é semelhante a de outros países, isso atrai companhias de baixo custo e passageiros para o país”, afirmou o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro, citando outras medidas que estão sendo tomadas para atrair essas companhias: o Projeto de Lei para a abertura de capital das empresas aéreas brasileiras, em pauta no Congresso Nacional; o aprimoramento da legislação para o setor; e a tentativa de igualar a alíquota do ICMS do querosene da aviação (QAV) para todos os estados brasileiros.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) já concedeu a autorização operacional à companhia. Estão previstas quatro frequências semanais regulares, com a aeronave modelo Airbus A320 Neo, com capacidade para 186 passageiros. O voo partirá do Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez, em Santiago, no Chile, com destino ao Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. Em seguida, a empresa fará a rota no destino inverso. 

Até o final do ano estão previstas  operações para os terminais de Guarulhos, em São Paulo, e Hercílio Luz, em Florianópolis. A autorização operacional era a última das três etapas para a empresa  operar voo regulares no Brasil. As duas primeiras autorizações, a de funcionamento no país e a jurídica, foram emitidas pela ANAC em maio de 2013.

Para o secretário Executivo do Ministério do Turismo, Alberto Alves, a ampliação da conectividade aérea é uma pauta prioritária para a Pasta. “Tanto que faz do conjunto de medidas do Brasil Mais Turismo, um plano desenhado para enfrentar entraves históricos do setor e dinamizar a atividade turística em curto prazo”, explicou Alves.  

MAIS COMPANHIAS – A Sky Airline é uma das quatro empresa low cost com processos em andamento na ANAC. Fundada em 2002, presta serviço de transporte aéreo e carga e transporta mais de 140 mil passageiros mensalmente, é a segunda aérea chilena, atrás da Latam airlines. A europeia Norwegian e as argentinas Avian (subsidiaria da Avianca) e Flybondi são as outras aéreas em tratativas com a ANAC para ofertarem voos de longo curso no país.

Além do ministro dos Transportes, Valter Casimiro, participaram da cerimônia, o secretario Executivo do ministério dos Transportes, Herbert Drummond, o secretário Nacional de Aviação, Dário Lopes, o presidente do RIOgaleão, Luiz Rocha,  o CEO da  Sky Airline, Holger Paulmann, e do Intituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR).

Foto: Alberto Ruy/ASCOM

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação

Referência

Concorrência de aérea low cost deve reduzir passagens para o Chile em 30% no Brasil, diz CEO da Sky Airlines

Companhia chilena estreou voo de baixo custo para o Rio nesta segunda-feira (5). Ministro dos Transportes diz que até março país deve ter voos para Londres também de baixo custo. Estreou nesta segunda-feira (5) o primeiro voo low cost (baixo custo) entre Santiago do Chile e o aeroporto do Galeão, no Rio. Serão seis voos semanais entre as duas cidades durante a alta temporada operados pela chilena Sky Airlines. Expectativa é que a concorrência faça os preços caírem cerca de 30%, disse o CEO da companhia Holger Paulmann.
De acordo com Pullman, as tarifas da Sky Airlines custam cerca de US$ 50 cada trecho – excluídos os custos das taxas de embarque de cada aeroporto. “Quando iniciamos [voos low cost] entre Santiago e Córdoba, o tráfego de passageiros subiu cerca de 150% e os preços caíram em média 30%. É uma tendência que a concorrência faça o mercado reajustar suas tarifas”, disse o CEO.
Além dos seis voos semanais para o Rio, a Sky Airlines vai ofertar, também, cinco voos para São Paulo e quatro para Florianópolis.
Em coletiva de imprensa realizada no salão nobre do RioGaleão nesta manhã, o ministro dos Transportes Valter Casimiro disse que o início da operação da Sky Airlines com voos de baixo custo foi possível por conta da flexibilização da legislação que permitiu, entre outros pontos, a cobrança pelo despacho de bagagens. Ele adiantou que deve ir a votação na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (7) um Projeto de Lei para permitir abertura de maior capital estrangeiro, hoje limitado a 20%, nas companhia aéreas do país.
“Com isso poderemos baixar ainda mais os preços das passagens para os usuários”, disse o ministro se referindo à maior concorrência interna que a abertura de capital poderá proporcionar.
O ministro adiantou ainda que “já tem pedido de outras companhias para fazer voos low cost no Brasil, inclusive para a Europa”. Um deles, já autorizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é da norueguesa Norwegian, a terceira maior companhia low cost europeia. “Talvez seja possível já até março termos voos direto para Londres com baixo custo”, disse o ministro.
Questionado sobre as polêmicas em torno da cobrança para despacho de bagagens – em voos internacionais a cobrança chega a R$ 450 por volume – o gerente de regulação das relações de consumo da Anac, Cristian Vieira dos Reis, reafirmou que a prática anterior era venda casada, o que é proibido pela legislação comercial brasileira.
A cobrança foi implantada há cerca de um ano, prazo que o porta-voz da Anac considera “relativamente curto para fazermos um balanço”. Segundo ele, será necessário entre 4 e 5 anos “para que todos os efeitos que a gente espera possam se acomodar”.

Referência

Honda faz recall de quase 20 mil unidades do HR-V por defeito nos freios


Sistema de frenagem pode perder eficiência devido ao vazamento de gás hidrogênio. Veja os chassis envolvidos. Honda HR-V 2017
Divulgação
A Honda vai começar em 12 de novembro o recall do HR-V, modelos 2016, 2017 e 2018, por possível defeito no freio traseiro. O chamado envolve 19.916 unidades do SUV fabricadas entre maio de 2015 e setembro de 2019.
Veja os chassis envolvidos:
HR-V 2016
8C3RV2850G com final de 100490 a 108201
93HRV2730G com final de 119954 a 169204
93HRV28*0G com final de 130879 a 186410
HR-V 2017
8C3RV2850H com final de 200034 a 201089
93HRV2730H com final de 200254 a 215372
93HRV28*0H com final de 200033 a 237879
HR-V 2018
8C3RV2850J com final de 200030 a 20186
93HRV2730J com final de 225181 a 251413
93HRV28*0J com final de 200059 a 262332
De acordo com a montadora, uma falha no processo de fabricação dos pistões dos calipers de freio traseiros pode levar ao vazamento de gás hidrogênio, com consequente geração de bolhas no fluído de freio e perda de eficiência de frenagem.
A empresa disponibiliza o site www.honda.com.br e o telefone 0800-701-3432 para mais informações.

Referência

Inspirada no MotoGP, Ducati lança Panigale V4R com 234 cavalos e até 'asas' na carenagem


Custando 39.990 euros, modelo é a esportiva mais radical da montadora italiana. Versão para rodar nas ruas tem 221 cavalos. Ducati V4R
Ducati/Divulgação
Antecipando sua principal novidade para o Salão de Milão 2018, que começa na próxima terça-feira (6), a Ducati revelou a inédita esportiva Panigale V4R, inspirada diretamente dos modelos de MotoGP da montadora italiana.
O modelo é a versão mais radical da Panigale V4, lançada em 2017 para substituir a 1299 Panigale. Custando 39.990 euros, a V4R está homologada para rodar nas ruas e chega a uma potência máxima de 221 cavalos – 7 cavalos a Panigale V4.
Ducati Panigale V4 tem “asas” na carenagem
Ducati/Divulgação
Seu motor tem 4 cilindros e 998 cc de cilindrada, capaz de alcançar torque de 11,5 kgfm. Toda essa força e potência estão em uma moto de apenas 172 kg.
Outro detalhe que remete às pistas são as “asas” para efeito aerodinâmico nas carenagens, similares as que estão nas motos de Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo no Mundial de MotoGP.
Ducati Panigale V4R
Ducati/Divulgação
Kit para a pistas
Com a instalação de um kit de corrida, a Panigale V4R fica ainda mais potente: chegando a 234 cavalos, para um peso de apenas 165,5 kg.
Ducati Panigale V4R
Ducati/Divulgação
O objetivo da Ducati ao desenvolver a V4R é a participação no Mundial de Superbike 2019. Esta competição utiliza apenas motos homologadas para a rua, como é o caso da V4R, por isso a montadora produziu um modelo tão esportivo para rodar nas estradas.
Em relação às outras motos da linha Panigale V4, que possuem motores de 1.103 cc, a V4R teve de ter a cilindrada reduzida para se enquadrar nas regras do Mundial de Superbike, mesmo assim, consegue uma potência superior comparada à de suas “irmãs”.
Ducati Panigale V4R
Ducati/Divulgação
Ducati Panigale V4R
Ducati/Divulgação

Referência

Maia defende que Câmara vote projetos da agenda econômica

O Irã venderá petróleo violando novas sanções impostas pelos Estados Unidos contra os vitais setores bancário e de energia do país, afirmou o presidente iraniano, Hassan Rouhani, nesta segunda-feira (5).
“Os Estados Unidos queriam cortar a zero as vendas de petróleo do Irã, mas nós continuaremos a vender o nosso petróleo para violar as sanções”, disse Rouhani a economistas durante reunião transmitida ao vivo pela televisão estatal.
Quem é afetado pelas sanções que os EUA impõem ao Irã
Os EUA disseram na sexta-feira que permitirá temporariamente que oito importadores continuem a comprar petróleo iraniano quando as sanções, que tem como objetivo forçar Teerã a cortar suas atividades nucleares e de mísseis, forem impostas novamente nesta segunda-feira.
Acredita-se que China, Índia, Coreia do Sul, Japão e Turquia –todos importantes importadores do petróleo iraniano– estarão entre os oito países que receberão as isenções temporárias para garantir que os preços do petróleo não sejam desestabilizados.
A retomada das sanções faz parte de esforços maiores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para forçar o Irã a cortar seus programas nucleares e de mísseis, assim como seu apoio a forças no Iêmen, Síria, Líbano e outras partes do Oriente Médio.

Referência

Concursos na Paraíba oferecem mais de 70 vagas de emprego entre os dias 28 de maio e 3 de junho


São 310 vagas de emprego em cargos de todos os níveis de escolaridade.

Sete editais publicados de concursos e seleções na Paraíba oferecem 310 vagas de emprego nesta semana de 4 a 11 de novembro.
Concurso da prefeitura de São José de Espinharas
Vagas: 22
Níveis: todos os níveis de escolaridade
Salários: mínimo a R$ 11.708,77
Prazo de inscrição: até domingo (11)
Local de inscrição: site da organizadora, Contemax Consultoria
Taxas de inscrição: R$ 40 (fundamental), R$ 60 (médio e técnico) e R$ 80 (superior)
Provas: 9 de dezembro
Edital do concurso da prefeitura de São José de Espinharas
Concurso da prefeitura de Cacimbas
Vagas: 46
Níveis: fundamental, médio e superior
Salários: R$ 954 a R$ 8.050
Prazo de inscrição: até domingo (11)
Local de inscrição: site da organizadora, Funvapi
Taxas de inscrição: R$ 50, R$ 70 e R$ 110
Prova: 9 de dezembro
Edital do concurso da prefeitura de Cacimbas
Concurso da Câmara Municipal de Campina Grande
Vagas: 37
Níveis: fundamental, médio e técnico
Salários: R$ 954 a R$ 1.483,40
Prazo de inscrição: até 25 de novembro
Local de inscrição: site da organizadora, Cpcon
Taxas de inscrição: R$ 60 (nível fundamental) e R$ 80 (nível médio/técnico)
Provas: 27 de janeiro de 2019
Edital do concurso da Câmara Municipal de Campina Grande
Concurso da Prefeitura e da Câmara de Pilõezinhos
Vagas: 73 | 2
Níveis: fundamental, médio, técnico e superior | fundamental e médio
Salários: R$ 954 a R$ 9 mil mais gratificação | R$ 954 e R$ 1 mil
Prazo de inscrição: 5 de novembro a 6 de dezembro
Local de inscrição: site da organizadora, CPCon
Taxas de inscrição: R$ 60 (nível fundamental) R$ 80 (médio e técnico) e R$ 100 (superior)
Provas: 27 de janeiro de 2019
Editais: Prefeitura e Câmara
Concurso da Prefeitura de Araçagi
Vagas: 52
Níveis: fundamental, médio, técnico e superior
Salários: R$ 954 a R$ 5.500 mais gratificação
Prazo de inscrição: 5 de novembro a 6 de dezembro
Local de inscrição: site da organizadora, CPCon
Taxas de inscrição: R$ 60 (nível fundamental) R$ 80 (médio e técnico) e R$ 100 (superior)
Provas: 27 de janeiro de 2019
Edital do concurso da Prefeitura de Araçagi
Concurso da Prefeitura de Cuitegi
Vagas: 78
Níveis: fundamental, médio e técnico
Salários: R$ 954 a R$ 9.054
Prazo de inscrição: 5 de novembro a 6 de dezembro
Local de inscrição: site da organizadora, CPCon
Taxas de inscrição: R$ 60 (nível fundamental), R$ 80 (nível médio/técnico) e R$ 100 (nível superior)
Provas: 27 de janeiro de 2019
Edital do concurso da Prefeitura de Cuitegi

Referência

Encontro de carros antigos em SP tem calhambeques e esportivos no passado; veja fotos


Reunião de colecionadores é realizada todo mês na Estação da Luz. O tradicional encontro de carros antigos na Estação da Luz no centro de São Paulo, neste domingo (4), reuniu calhambeques Ford da década de 1920, kombis, fuscas e esportivos do passado. O encontro acontece no primeiro domingo de todo mês, e reune colecionadores de carros antigos. Veja fotos:
Calhambeques modelo Ford da década de 1920 e início da década de 1930 foram expostos na Luz
Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Este Porsche chamou a atenção dos fãs dos carros antigos esportivos
Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Este carro esportivo chamou a atenção dos visitantes na Estação da Luz
Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Este Citroên 2CV que prestava serviços para a Esso também foi exposto na Luz
Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Referência