Blog

Preço do diesel termina a semana em alta, aponta pesquisa da ANP

Valor médio do combustível nas bombas subiu 1%, enquanto o preço da gasolina subiu 4% e do etanol, 4,7%; gás de cozinha também subiu. Levantamento semanal divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) nesta segunda-feira (4) mostra que o preço médio do diesel subiu 1 nos postos, enquanto que o da gasolina também avançou, na comparação com a semana encerrada no dia 26 maio, quando os caminhoneiros ainda estavam em greve.
Segundo o levantamento, o preço médio do diesel nas bombas subiu de R$ 3,788 para R$ 3,828, um aumento de 1%. Mas, na mesma semana a ANP chegou a registrar a cobrança de R$ 5,20 por litro na mesma semana.
Já o valor médio da gasolina passou de R$ 4,435 para R$ 4,614, um aumento de 4%. A ANP chegou a encontrar o litro sendo vendido por R$ 5,40 na mesma semana.
A pesquisa da ANP foi realizada entre 27 de maio e 2 de junho. Ou seja, parte dos preços foi coletada ainda durante a greve dos caminhoneiros, encerrada na quinta-feira (31).
No ano, o preço médio do diesel nas bombas acumula alta de 15%, enquanto o da gasolina subiu 12% até agora.
A pesquisa também apontou que o preço médio do etanol por litro aumentou 4,7%, passando de R$ 2,818 para R$ 2,953, em média. Já o maior valor registrado pela ANP na semana foi de R$ 4,59 por litro. No ano, o valor do etanol nas bombas acumula alta de 1,4%.
Já o valor do botijão de gás de cozinha subiu 5,3%, de R$ 67,02 para R$ 70,61, em média, chegando a R$ 105 no valor máximo registrado pela ANP. Em 2018, há alta de 4,7%.
Preços nas refinarias
Na mesma semana, a Petrobras baixou em 2,11% o preço da gasolina nas refinarias. O repasse ou não da redução para o consumidor depende dos postos.
Nesta segunda-feira, a Petrobras anunciou redução 0,68% no preço da gasolina comercializada nas refinarias. O corte acontece após 2 altas seguidas. Em 1 mês, entretanto, o combustível acumula alta de 11,64% nas refinarias.
Já o preço do diesel nas refinarias, seguindo acordo firmado durante a greve dos caminhoneiros, ficou congelado em R$ 2,1016 do dia 24 até o dia 31 de maio, quando passou para R$ 2,0316. Esse preço será mantido até o dia 7 de junho, conforme ficou estabelecido pelo programa de subvenção ao combustível anunciado pelo governo, que prevê redução de R$ 0,46 no diesel. Com a redução, o preço do combustível recuou 2,69% na comparação com o início de maio.
A medida que prevê desconto de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias anunciada pelo governo entrou em vigor na sexta-feira (1) e o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, estimou que a redução do preço poderá levar até 15 dias para chegar aos consumidores de todo o país.
A Petrobras adotou novo formato na política de ajuste de preços em 3 de julho do ano passado. Segundo a nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivad os no mercado internacional, e também do dólar. Desde o início do formato, o preço da gasolina comercializado nas refinarias acumula alta de cerca de 50%.
INFOGRÁFICO: o valor da Petrobras, do dólar e do petróleo de 2010 até a saída de Parente
Motoristas ainda encontram diesel sem a redução de R$ 0,46
A redução no preço do combustível é uma das medidas do acordo do governo com as entidades dos caminhoneiros para tentar por fim à paralisação da categoria.
O subsídio total para o preço do diesel, que custará R$ 9,58 bilhões, tem por objetivo manter, por 60 dias, o desconto de R$ 0,46 no preço do diesel nas refinarias. Depois disso, o preço oscilará mensalmente, segundo acordo fechado com os caminhoneiros. Para viabilizar esses subsídios, o governo decidiu acabar com benefícios para a indústria química, quase eliminar incentivos para exportadores e cancelar parte de gastos de uma série de programas públicos.
O governo prevê repasse de R$ 4,9 bilhões à Petrobras ainda em 2018 (R$ 700 milhões por mês) como forma de compensação pelas variações do dólar e petróleo. Na prática, a cada 30 dias, a Petrobras vai estipular o preço que será cobrado nas refinarias. Em caso de o valor ficar abaixo do mercado, o governo pagará à estatal a diferença.
Na semana passada, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou que o governo não tem recursos orçamentários para baixar a tributação também sobre a gasolina e sobre o gás de cozinha. O governo discute, entretanto, o fim dos reajustes diários nas refinarias. Para assessores de Temer, reajuste diário da gasolina é ‘insustentável’, e aumentos devem passar a ser mensais, segundo o Blog do Valdo Cruz.
Governo se reúne para discutir mudanças no reajuste diário no preço dos combustíveis
Posto que não repassar desconto pode ser multado
Para tentar garantir o desconto nas bombas, o governo anunciou a criação de uma rede nacional de fiscalização e promete punições para os postos que não repassarem aos consumidores a redução de R$ 0,46 no preço do litro do óleo diesel. As punições possíveis em caso de descumprimento são:
Multa de até R$ 9,4 milhões;
Suspensão temporária da atividade;
Cassação da licença do estabelecimento;
Interdição do estabelecimento comercial.
Segundo os ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo governo, os postos terão de fixar uma placa com o preço do diesel cobrado em 21 de maio, dia em que se iniciou a greve dos caminhoneiros. Desse preço, disse o ministro, terão de ser descontados os R$ 0,46 – dos quais R$ 0,30 são subvenção do governo (que compensará a Petrobras) e R$ 0,16 resultado da eliminação da incidência dos tributos Cide e da redução de PIS-Cofins sobre o diesel.
Os representantes dos postos afirmam, entretanto, que não há lei que obrigue a repassar desconto no diesel ao consumidor, e que os preços na bomba estão vinculados ao que é cobrado pelas transportadoras.
O presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis), Paulo Miranda Soares, afirmou nesta sexta-feira (1º), que não acredita em dificuldades para repassar a redução do preço do diesel nas refinarias para o consumidor final, mas avaliou que o repasse também depende dos estados. Ele explicou que, como há biodiesel no produto final, o impacto da redução de tributos por parte do governo, e da concessão de subsídios, seria de R$ 0,41 por litro.
Já o presidente da Associação de Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio), Erasmo Carlos Battistella, afirmou que o setor não é obstáculo para que o preço final do diesel seja reduzido em R$ 0,46.

Referência

Fundador do Facebook vai ao Parlamento Europeu na terça falar sobre uso de dados


Em um comunicado, a Procuradoria de Washington anunciou que as duas empresas ‘falharam em manter a informação sobre anúncios políticos exigida por lei’ desde 2013. Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook, durante audiência na Câmara dos Deputados dos EUA. A empresa, assim como o Google, está sendo processada por violar uma lei eleitoral no estado de Washington
Leah Millis/Reuters
O Facebook e a Alphabet Inc, dona do Google, estão sendo processados pelo estado de Washington, nos Estados Unidos, por descumprir uma lei eleitoral estadual. Em um comunicado divulgado na tarde desta segunda-feira (4), a Procuradoria de Washington anunciou que “o Facebook e o Google falharam em manter informações obrigatórias sobre anúncios políticos do estado de Washington em suas plataformas online desde 2013”.
Segundo a Procuradoria, as leis sobre financiamento de campanhas no estado exigem que os anunciantes que vendem publicidade política mantenham informações sobre quem pagou pelo anúncio. Eles também precisam garantir que essa informação esteja disponível ao público.
Documentos da Comissão de Divulgação Pública do estado mostram que, “na última década, candidatos e comitês políticos de Washington registraram US$ 3,4 milhões [cerca de R$ 12 milhões] em pagamentos ao Facebook, e US$ 1,5 milhão [cerca de R$ 4 milhões] ao Google relativos a anúncios”.
De acordo com Bob Ferguson, o Procurador Geral de Washington, “as leis de divulgação de publicidade política de Washington se aplicam a todos, quer você seja um jornal de uma cidade pequena ou uma grande corporação”.
Ele também afirmou que a população do estado tem “o direito de saber quem está pagando pelos anúncios políticos que vê”.
O comunicado diz ainda que, além de não deixar as informações visíveis ao público, também não responderam a pedidos diretos feitos em uma carta a ambas as empresas, e não obtiveram nem guardaram todas as informações exigidas aos anunciantes de campanha, incluindo os nomes e endereços de todas as pessoas de quem eles receberam anúncios, o total dos custos ou o método de pagamento.
Resposta do Facebook
Segundo a agência de notícias Reuters, o Diretor de Gestão de Produtos do Facebook, Rob Leathern, afirmou em um comunicado que o processo judicial sobre financiamento de campanha “levantou questões importantes”, que a empresa criou voluntariamente uma ferramenta para exigir anúncios eleitorais e que “está ansiosa para resolver o processo no estado de Washington rapidamente”.

Referência

A abertura do evento será no Palácio do Itamaraty, em Brasília (DF), nesta terça-feira (5/6), e contará com a presença dos ministros dos Transportes e das Relações Exteriores

A Organização da Aviação Civil Internacional (International Civil Aviation Organization – ICAO), com apoio do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil do Brasil, promove em Brasília (DF), entre os dias 5 e 7 de junho de 2018, o Seminário Regional do Programa de Identificação de Viajantes (Traveller Identification Programme – TRIP). A abertura do evento será realizada no Palácio do Itamaraty e contará com a presença do ministro dos Transportes, Valter Casimiro, e do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira.

Confira a programação aqui.

Segundo Casimiro, a estratégia TRIP da ICAO, com foco na segurança do passageiro, contribui para o governo brasileiro enfrentar os movimentos terroristas internacionais, a criminalidade entre fronteiras, ampliar a segurança nacional, bem como a proteção da sociedade e da aviação internacional.

“Para o crescimento sustentável da aviação brasileira é preciso estar alinhado com as diretrizes da ICAO, que tem alcance global. E com esse seminário, esperamos trocar experiências para que possamos aperfeiçoar o nosso marco regulatório, conhecer as inovações tecnológicas e levar soluções que contribuam para o desenvolvimento do setor aéreo.”, pontuou o ministro.

O Seminário tem 235 inscritos, sendo mais de 130 estrangeiros de 37 países. Nos três dias de evento serão abordados os cinco elementos da Estratégia do Programa de Identificação de Viajantes (ICAO TRIP), incluindo: padrões de documento de viagem legível por máquina (MRTD); especificações e melhores práticas; emissão segura de documentos de viagem; evidência robusta de processos de identidade; e tecnologias de compartilhamento de informações altamente relevantes para a execução das Resoluções 2178 (2014), 2309 (2016), 2368 e 2396 (2017) do Conselho de Segurança das Nações Unidas no combate a terroristas estrangeiros, com especial foco na gestão efetiva do controle das fronteiras.

Destinado a emissores de passaportes, autoridades de segurança da aviação, registros civis, imigração, controle de fronteiras e autoridades policiais, bem como companhias aéreas e autoridades aeroportuárias, o evento oferece oportunidade única para troca de informações e aprimoramento de experiências.
Dentre os palestrantes e facilitadores, encontram-se grandes especialistas no campo, formuladores de políticas e gerentes seniores, profissionais e pesquisadores, e representantes de grupos de trabalho relevantes da ICAO, ISO e outras organizações internacionais.

Para mais informações, acesse a página do Seminário Regional do Programa de Identificação de Viajantes no Portal da Organização da Aviação Civil Internacional.

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Referência

Greve de caminhoneiros no porto de Santos faz Chery adiar retomada da produção


Montadora em Jacareí aguarda chegada de peças que estão no porto do litoral sul paulista, segundo o sindicato. Movimento grevista encerrou paralisação no local na última quinta (31), um dia depois do restante do país. Expediente será retomado na terça (5). Caoa Chery produz os modelos QQ e Tigo2 em Jacareí
Divulgação/Chery
A linha de produção da Caoa Chery, em Jacareí (SP), vai retomar a produção apenas nesta terça-feira (5) após uma semana de paralisação. A informação é do Sindicato dos Metalúrgicos que justifica que a montadora mantém paralisada as atividades por falta de peças, ainda por reflexo da greve dos caminhoneiros.
Os itens, segundo a entidade, estão no porto de Santos, último ponto do país a ter a greve desmobilizada. O acesso ao porto ficou bloqueado por 11 dias, até a última quinta (31).
Com isso, a Caoa Chery será a última das quatro montadoras com unidades no Vale do Paraíba a retomar as atividades.
GM, em São José; e Ford, em Taubaté, voltaram a operar normalmente a partir do 1º turno na manhã desta segunda (4). A Volks, também em Taubaté, retomou a produção no segundo turno.
As multinacionais suspenderam temporariamente a produção na última semana por falta de peças. As remessas estavam bloqueadas nas estradas durante o protesto.
A Chery produz em Jacareí o QQ e o Tiggo 2 e emprega cerca de 500 trabalhadores.
O G1 procurou as montadoras por meio das assessorias de imprensa, que confirmaram as datas indicadas pelo sindicato de retomada da produção.

Referência

Maia defende que Câmara vote projetos da agenda econômica

A Apple apresentou o iOS 12, a nova versão de seu sistema operacional, nesta segunda-feira (4). Entre as mudanças no sistema operacional para iPhones, iPads e iPods, estão a possibilidade de criar atalhos para executar vários apps de uma vez assim que uma frase é dita à Siri, um novo sistema de realidade aumentada e uma nova forma de agrupar notificações recebidas pelo smartphone.
O novo sistema também ganhou controles para limitar o uso de aplicativos. Com isso, será possível configurar o YouTube, por exemplo, para ser usado por apenas 1 horas por dia.
iOS
A Apple aplicou uma camada de inteligência artificial à sessão de fotos do iOS 12 ganharam um refinamento na pesquisa, capaz de buscar imagens por eventos que ocorreram em um momento ou em um lugar.
A sessão de fotos do iOS também vai passar sugerir quais são as melhores fotos para serem compartilhadas e, a partir do reconhecimento de quem está na imagem, para quem elas deveriam ser mandadas.
A Apple criou atalhos para aplicativos interagirem melhor com a Siri. Ao abri-los, usuários serão perguntados se querem adicionar um acesso rápido para a assistente pessoal. A partir de um app de viagens, por exemplo, será possível configurar a Siri para exibir detalhes das férias todas as vezes que a frase “Planos de Viagem” for dita.
Esses atalhos podem ser uma combinação de várias ações distribuídas por diversos apps. Uma frase, como “Indo para casa”, pode acionar um serviço de navegação já com o caminho mais rápido para casa e uma lista de músicas.
A Siri também passará a fazer sugestões proativas com mais ênfase, baseadas na atividade das pessoas com seus aplicativos favoritos.
A Apple mesclou os apps de Bolsa, que mostra a movimentação dos mercados, ao de Notícias. Assim, reportagens sobre uma empresa cuja flutuação das ações é acompanhada pelo usuário serão exibidas no mesmo lugar.
O Carplay, integração do iOS com sistemas multimídia de carros, poderá rodar aplicativos terceiros de navegação, como Waze e Google Maps.
O iOS 12 ganhou um novo jeito de exibir notificações, que serão agrupadas por tipo de aplicativo.
A função App Limits mostrará o tempo gasto em cada app, assim como quais serviços enviam mais notificações. Com ele, será possível determinar quanto tempo será gasto em um aplicativo, como Instagram ou YouTube. Quando o tempo programado para usar um serviço estiver para acabar, o aplicativo enviará um aviso. Quando o tempo se esgotar, o aplicativo fechará.
Realidade aumentada
O iOS 12 inaugura um novo formato para arquivos de realidade aumentada, à exemplo do que ocorre com os formatos para imagens, como “.jpeg” e “PNG”, e para vídeos, como “.MOV” OU “MP4”. Chamado de “USDZ”, abreviação para Universal Scene Description, o formato foi criado ao lado da Pixar e será suportado por empresas como Adobe e Autodesk.
O novo formato também pode ser incluído em páginas na web. Imagens criadas em USDZ podem ser capturadas de um site, por exemplo, e vistas como ficariam em um mundo real. O exemplo dado foi o de loja online de guitarras. Fotos do instrumento em USDZ poderiam ser posicionadas sobre uma mesa para mostrar detalhes da guitarra.
Outro exemplo dado é um jogo da Lego, que usa a tecnologia da Apple para criar cidades virtuais sobre uma superfície física. Com isso, dois jogadores, cada um com seu celular ou tablet, podem ajudar a construir, inserir novos personagens, como o Batman, e espiar o que há dentro dos prédios digitais.
Além disso, um novo aplicativo, chamado “Measure” poderá tirar medidas de objetos físicos. Durante a apresentação, Fiderighi usou o recurso para medir as dimensões de uma mala.

Referência

BMW mistura esportiva e aventureira em novo conceito com motor de 2 cilindros


90cento possui motor de 2 cilindros e 900 cc. Protótipo pode ser base para marca entrar em nova faixa de segmento. BMW 9cento
Divulgação
A BMW revelou um conceito de moto que reúne segmentos bem diferentes: esportivo e aventureiro. Chamado de 9cento, a motocicleta possui um visual que lembra a S 1000 XR, porém, com uma motorização completamente diferente.
Enquanto a S 1000 XR utiliza motor de 4 cilindros derivado do da esportiva S 1000 RR, a 9cento é movida por um motor de 2 cilindros e 900 cc. Apesar de não divulgar as especificações técnicas do motor, a BMW deve utilizar nele a base do mesmo propulsor das F 750 e 850 GS atuais.
BMW 9cento
Divulgação
O lado aventureiro da 9cento está em sua ergonomia, que deixa o piloto em uma posição mais confortável para longas viagens, como em uma aventureira. Do lado esportivo, está o visual da moto, com carenagens e também uma traseira bem agressiva.
BMW 9cento
Divulgação
Atualmente, a BMW não possui motos nesta faixa de cilindrada de 900 cc e o protótipo pode ser o indício de planos para entrar nesta faixa, utilizando como base o motor de 2 cilindros já visto nas GSs, mas com uma revisão para torná-lo mais esportivo.

Referência

Linha Triumph Tiger 800 chega ao Brasil renovada por a partir de R$ 43,2 mil


G1 já avaliou o modelo, que ficou 8% mais caro; assista ao vídeo. Fabricante também renovou a Tiger 1200, com valores começando em R$ 60.090. Triumph Tiger 800 XCA
Triumph/Divulgação
A Triumph lançou no Brasil a linha 2018 das aventureiras Tiger 800 e Tiger 1200. Renovadas, as motos já estão nas lojas da marca inglesa no país e ficaram em média 8% mais caras.
Veja os preços:
Tiger 800
Primeiras impressões: Tiger 800 é avaliada em mina desativada antes de chegar ao Brasil
XR – R$ 43.190
XRx – R$ 48.890
XRx Low Seat – R$ 48.890
XCx – R$ 51.390
XRt – R$ 54.890
XCa – R$ 55.890
Tiger 1200
XR – R$ 60.090
XCx – R$ 73.190
XCa – R$ 83.490
O que mudou?
Enquanto também é aguardada a chegada das novas BMW F 750 GS e 850 GS, concorrentes da Tiger 800, a Triumph se antecipou e mudou a aventureira, que passou 200 alterações. Entre as principais, estão a 1ª marcha mais curta, revisão no motor, novos painel e escapamento, além de carenagens redesenhadas.
Triumph Tiger 800 XCa 2018
Rafael Miotto/G1
Para a Tiger 1200, foram menos mudanças, cerca de 100, com destaque para o farol adaptativo em curvas, 10 kg a menos, afinamento da largura do assento, motor, chassi e escapamento.
Triumph Tiger 1200
Triumph/Divulgação

Referência

Primeira reestilização do Jeep Renegade está pronta e inclui motor turbo na Europa


Modelo 2019 do utilitário compacto será mostrado nesta semana na Europa e em breve no Brasil. Jeep Renegade reestilizado será mostrado nesta semana na Europa
Divulgação
A primeira reestilização do Jeep Renegade já está pronta e será mostrada nesta semana na Europa, durante o salão do automóvel de Turim.
Fiat terá 3 novos SUVs no Brasil
As mudanças no desenho devem ser pequenas. A única imagem disponível oficial até agora mostra alteração na lanterna traseira, que é um dos detalhes mais marcantes do modelo lançado em 2015.
No entanto, pelo menos na Europa, o Renegade terá novidade também sob o capô, com três opções de motores turbo.
A primeira versão será um 1.0 turbo de 3 cilindros, com cerca de 120 cv. Em seguida, aparecem duas opções do 1.3 turbo de 4 cilindros, com 150 ou 180 cv.
O interior também deve ter uma repaginada, mas detalhes serão divulgados em breve.
Jeep Renegade terá primera reestilização
Divulgação
E no Brasil?
A Fiat ainda não confirma as novas motorizações para o mercado brasileiro, mas o 1.3 turbo é uma boa opção para substituir o atual 1.8 EtorQ, de 139 cv, que não é tão eficiente frente a possíveis novas exigência para redução do consumo de combustível.
Jeep Renegade Limited
Peter Fussy / G1

Referência

Maia defende que Câmara vote projetos da agenda econômica

Quem já acompanhou a final de um campeonato de futebol na arquibancada do estádio, cantando e vibrando junto à torcida, pode descrever um sentimento de pertencimento. Fazer parte de um grupo é algo poderoso. Aliás, o efeito disso é tão forte que muitas marcas utilizam essa estratégia na hora de montar suas estratégias de marketing e publicidade, como veremos a seguir.
O psicólogo Henri Tajfel se especializou em estudos sobre categorização social. Uma de suas principais contribuições é uma teoria de que os grupos são uma fonte importante de autoestima, tendo em vista a sensação de pertencimento e a criação de identidade social. É comum ver, por exemplo, o indivíduo se sentindo bem ao exaltar o próprio grupo ou destratando o grupo oposto.
Pense isso no contexto do futebol: você enche o peito para dizer que faz parte da melhor torcida do seu estado. Da mesma forma como se sente satisfeito ao ver o seu principal rival perdendo um jogo importante, mesmo que não seja contra o seu time.
As marcas costumam seguir na mesma direção em muitas situações. Samsung e a Apple se provocam há anos para vender seus smartphones. Quem adere ao sistema IOs dificilmente cede para o uso do Android e vice-versa. A “rivalidade” se assemelha ao que acontece entre torcidas rivais, guardadas as devidas proporções. O mesmo vale para bebidas, redes de fast-food e outras gigantes que vivem elaborando campanhas para provocar os rivais.
Temos uma tendência a criar empatia por membros do grupo ao qual pertencemos sem nem mesmo um motivo para isso. Tajfel chegou a fazer um estudo em que demonstra isso. A experiência foi feita com o intuito de revelar o grau de facilidade que as pessoas teriam em criar identificação com um grupo.
O teste era bem simples: os participantes recebiam uma tarefa trivial e sem muito sentido, como escolher um entre dois pintores ou tentar adivinhar o número de pontos contidos em uma tela. Com base nas respostas, o pesquisador ia formando dois grupos distintos. Ao fim das tarefas, o pesquisador orientava os membros dos grupos a distribuírem gratificações reais entre todos. O resultado foi como o esperado: eles foram generosos com os membros de seus grupos e mesquinhos com os demais. Ou seja, mesmo sem um forte motivo para tanto, criou-se uma lealdade entre os membros de cada grupo.
Se é possível criar essa empatia com alguém de um grupo, imagina o alcance que isso tem quando bem utilizado por uma marca? A questão é que nesses casos a empatia vem em forma de fidelização. Enquanto você acha que as marcas estão apenas travando uma rixa boba com campanhas de provocação, o que elas estão fazendo, na verdade, é te incitando a tomar um lado da briga. A velha estratégia do “nós contra eles”.
Enquanto você se empolga com a rivalidade meticulosamente armada entre as marcas, automaticamente acaba escolhendo um dos lados para tomar partido. E diferentemente do que acontece no estádio, onde você manifesta suas preferências cantando com outros torcedores, quem levanta a bandeira aqui é o seu bolso.

Referência