Justiça do Irã bane aplicativo Telegram do país para 'proteger segurança nacional' 

Justiça do Irã bane aplicativo Telegram do país para 'proteger segurança nacional' 

Justiça do Irã bane aplicativo Telegram do país para 'proteger segurança nacional' 

Aplicativo de mensagem instantânea tem mais de 25 milhões de usuários e foi usado amplamente durante protestos no início do ano.  O judiciário do Irã proibiu o popular aplicativo de mensagens instantâneas Telegram para proteger a segurança nacional, informou a TV estatal do Irã nesta segunda-feira (30). A informação é da agência Reuters.
“Considerando várias reclamações contra o aplicativo de rede social Telegram por cidadãos iranianos, e com base na demanda de organizações de segurança para confrontar as atividades ilegais do Telegram, o judiciário proibiu seu uso no Irã”, informou a TV.
A ordem de banir o aplicativo veio dias depois que o Irã proibiu órgãos governamentais de usar o app. O Telegram, que tem mais de 25 milhões de usuários diários, é a rede social mais popular no Irã, informa a France Presse.
Uso em protestos
A decisão acontece depois de uma série de polêmicas envolvendo o aplicativo, que foi usado amplamente durante manifestações contra o alto custo de vida no país no início do ano. Os protestos deixaram 21 mortos, principalmente entre manifestantes.
Durante esses tumultos, as autoridades cortaram o acesso ao Telegram e ao Instagram a partir de telefones celulares e acusaram grupos “contra-revolucionários” no exterior de usar essas redes para convocar manifestações.
Ainda, desde as grandes manifestações em 2009 contra a reeleição do ex-presidente Mahmud Ahmadinejad, Facebook, Twitter e YouTube estão bloqueadas no Irã, mas podem ser acessados via VPN.

Referência