BC concede autorização de funcionamento para o Banco XP

Maia defende que Câmara vote projetos da agenda econômica

BC concede autorização de funcionamento para o Banco XP

Instituição poderá atuar como banco múltiplo, com carteiras comercial e de investimento e autorização para realizar operações no mercado de câmbio. O Banco Central (BC) concedeu autorização de funcionamento para o Banco XP. No fim de 2018, o BC havia autorizado a criação do banco, mas a liberação para o funcionamento ainda dependia do cumprimento de outras exigências regulatórias, como a constituição da empresa, integralização do capital, implementação da estrutura operação e eleição de dirigentes.
Com o aval concedido nesta sexta-feira (11), o Banco XP poderá atuar como banco múltiplo, com carteiras comercial e de investimento e autorização para realizar operações no mercado de câmbio. A sede é no Rio de Janeiro e o capital social é de R$ 100 milhões.
Segundo o BC, os controladores do Banco XP são Guilherme Dias Fernandes Benchimol, Julio Capua Ramos da Silva, Carlos Alberto Ferreira Filho, Daniel Albernaz Lemos, Gabriel Klas da Rocha Leal, Pedro Henrique Cristóforo da Silveira e Fabrício Cunha de Almeida.
Em julho, Gabriel Leal, que é sócio e diretor da XP, havia dito em um evento que o banco já estava operacional e que os produtos e serviços serão lançados aos poucos. O primeiro produto deve ser um crédito colateralizado, um tipo de empréstimo com garantia de um ativo financeiro. O banco também deve lançar serviços de conta corrente e cartão de crédito.
A ideia é que os clientes do banco sejam os atuais investidores da XP. “Vamos acoplar o banco na plataforma e ele vai carregar o DNA da empresa”, disse Leal na ocasião.
A XP pretende realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em uma bolsa americana, provavelmente em dezembro. Analistas dizem que a empresa pode ser avaliada em torno de R$ 60 bilhões, considerando a previsão de lucro de R$ 2 bilhões em 2020 e um múltiplo de 30 vezes o preço/lucro.

Referência